O grande amor de Deus

Home / Mensagem / O grande amor de Deus

cross-2488005_1920O Senhor Jesus Cristo estava conversando com Nicodemos, era noite, Jesus estava em Jerusalém, e aquele mestre de Israel, membro do sinédrio judaico chega para Jesus tecendo-lhe os maiores elogios: Mestre, sabemos que és vindo da parte de Deus, porque ninguém pode fazer as obras que tu fazes se Deus não for com ele. Nesse momento, Jesus olha para Nicodemos e diz: Nicodemos, em verdade te digo, que se tu não nasceres de novo, não poderás ver o reino de Deus, se tu não nasceres da água e do Espírito, não poderás entrar no reino de Deus. E nessa conversa, a sós com Nicodemos, que Jesus Cristo vai citar aquele que é chamado de “o evangelho em miniatura”, a essência do próprio evangelho, João 3.16, porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Eu quero destacar aqui algumas verdades sublimes neste versículo.

Em primeiro lugar, o maior doador. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu. Deixa eu dizer uma coisa para você, não é pouca coisa ser amado por Deus, Deus é o Criador do universo, ele é o sustentador de todas as coisas, ele é o autor da vida, ele é quem preserva sua vida, ele é quem cerca você com seu cuidado, e ele ama você com amor eterno, ele tem atraído você para ele com cordas de amor, o soberano do universo se importa com você, conheceu você antes que houvesse mundo e ama você com amor eterno, com amor infinito, com amor sacrificial.

Mas em segundo lugar, esse texto fala da maior dádiva: porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito; o apóstolo Paulo, escrevendo a sua carta aos Romanos, disse que dificilmente alguém morreria por outra pessoa; até pode ser que pelo justo alguém se anime a morrer, mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores. Deus amou você, a tal ponto, que ele não poupou seu próprio filho, antes por todos nós o entregou. A Bíblia chega a dizer que Deus lançou sobre o seu filho, lá na cruz, os nossos pecados, as nossas iniquidades, diz que Jesus foi carregando sobre o madeiro os nossos pecados, a Bíblia diz que agradou ao pai moê-lo naquela cruz, porque ali, naquela cruz, Deus estava punindo o meu e o seu pecado, tanto assim Deus nos amou, que ele entregou o seu próprio filho pra morrer uma morte horrenda, morte de cruz, para que você e eu não perecêssemos eternamente, mas para que você e eu experimentássemos sua gloriosa e bendita salvação.

Mas em terceiro lugar, este amor é endereçado ao maior de todos os necessitados: você, eu nós pecadores. Deus não nos amou porque ele viu em nós algo digno de ser amado, a causa do amor de Deus por você e por mim não está em nós, Deus nos amou quando nós éramos fracos, ímpios, pecadores e inimigos. Deus é capaz de amar infinitamente os objetos da sua ira; eu estava perdido e ele me achou; eu estava arruinado pelos meus pecados e ele me restaurou; eu era escravo do diabo, da carne, do mundo, e ele me libertou; eu estava morto nos meus delitos e pecados e ele me deu vida; se Deus deixasse você e a mim entregues a nós mesmos, irremediavelmente nós estaremos perdidos, marchando celeremente rumo ao inferno, à condenação eterna. Mas Deus pôs o seu coração em você, Deus amou você apesar de você virar as costas para ele, e esse amor não foi apenas um amor falado, em palavras, mas esculpido na cruz do calvário, Deus derramou este amor no seu coração, este amor de Deus é um amor imerecido, porque nós éramos pecadores e inimigos de Deus, este é o amor provado, ele provou o seu amor por nós, pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores.

Mas finalmente, este amor é tão grande por causa do seu propósito, para que todo o que nele crê não pereça mas tenha a vida eterna. O amor de Deus por você tem um propósito, é que você não vá para o inferno, é que você não vá para a condenação eterna, é para que você não pereça eternamente, é para que você não seja lançado nas trevas exteriores, é para que você não vá para aquele lugar de choro e ranger de dentes, é para que você não seja lançado na segunda morte, mas o propósito de Deus em amar você é para que você creia em Jesus, é para que você seja perdoado, é para que você receba gratuitamente a vida eterna, o que você vai fazer com este amor? É claro que você não pode ficar neutro diante dessa mensagem; você é escravo da sua liberdade, você precisa tomar uma decisão. Talvez você diga assim: bom, mas eu não tenho decisão nenhuma; a Bíblia diz assim: Jesus Cristo foi quem disse que quem não é por mim é contra mim, quem comigo  não ajunta, espalha. E você diz: bom, mas eu estou neutro. Deixa eu dizer uma coisa para você: a indecisão também é uma decisão, a indecisão é a decisão de não decidir, e quem não se decide por Cristo, decide-se contra ele. Então, hoje é o dia da salvação, hoje é o dia oportuno, se você ouvir a voz de Deus, se você se arrepender dos seus pecados, e se você crer em Jesus Cristo como seu salvador pessoal, você receberá a vida eterna. Esta vida eterna não se compra com dinheiro, esta vida eterna não se recebe através de méritos pessoais, de prática de boas obras, você não recebe a vida eterna porque você membro desta ou daquela igreja, porque você foi batizado nesta ou naquela igreja, você recebe a vida eterna quando você crê no nome de Jesus. Aí Deus cancela os seus pecados, Deus perdoa os seus pecados, Deus dá para você a salvação, a vida eterna, e então, em vez de você perecer eternamente, você viverá com ele para sempre e sempre, no céu de glória, onde não vai ter dor, não vai ter lágrimas, não vai ter luto, a decisão é sua, e precisa ser feita agora.

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” João 3.16

Rev. Hernandes Dias Lopes

Recommended Posts