As sete palavras da cruz

Home / Mensagem / As sete palavras da cruz

O Senhor Jesus Cristo foi crucificado entre dois ladrões. E diz a Bíblia que ele foi crucificado às 9h da manhã daquela sexta-feira da Páscoa. Ele, o Filho de Deus, estava sendo acusado de dois graves crimes: blasfêmia contra Deus, e conspiração contra César. O poder religioso e o poder político se uniram para condenar à morte de Cruz o próprio Filho de Deus. Naquele momento judeus e gentios se uniram, naquele que é chamado de maior crime da história e ao mesmo tempo na maior demonstração de amor aos pecadores. Quando Jesus foi pregado naquela cruz, sofrendo câimbras, dores, sede atroz, em vez de blasfemar, ou de rogar destruição sobre os seus executores, Jesus transforma aquele momento que ficou na cruz, 6 horas, das 9 da manhã às 3 da tarde, num palco da demonstração da graça de Deus, proferindo 7 palavras na cruz.

A primeira palavra foi a do perdão, quando Jesus Cristo do topo do Calvário diz: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”. O Senhor Jesus Cristo não apenas ora em favor dos seus executores, mas atenua-lhes a culpa dizendo: eles não sabem o que fazem. Que grande amor, que graça imensa, que perdão glorioso, é este que Jesus Cristo oferece a pecadores indignos. Eu quero dizer para você que Jesus ama você, e que ele está pronto também a perdoar você e a rogar ao Pai que perdoe os seus pecados. É por causa do perdão de Deus que podemos ter esperança.

A segunda palavra da cruz foi a palavra da salvação, quando aquele que estava crucificado à sua direita, vendo o exemplo de Jesus, ouvindo as palavras de Jesus rogando ao Pai que perdoasse os seus executores, isso toca o seu coração. E ele então arrependido, se dirige a Jesus dizendo: Senhor, lembra-te de mim quando vieres no teu reino. E Jesus se dirige a ele dizendo: Em verdade te digo que hoje mesmo estarás comigo no Paraíso. Que coisa gloriosa, aquele homem que vivera a vida toda à margem da lei, como transgressor da lei, roubando e matando pessoas, vivendo toda sua vida no crime, na última hora ele se arrepende, na última hora ele é salvo, e na última hora ele recebe de Jesus a garantia de que desfrutaria com ele do Paraíso. Isso mostra que a salvação não é pelas obras, não é pelo mérito, a salvação é uma dádiva gratuita de Deus pela fé em Cristo Jesus o nosso Senhor.

A terceira palavra da cruz foi a palavra da solidariedade, do cuidado de Jesus a sua própria mãe. Quando ele diz: mulher, eis aí o teu filho, e diz para o apóstolo João, filho, eis aí a tua mãe. Jesus, mesmo no topo do Calvário não estava preocupado consigo, ele estava cuidando das pessoas ao seu entorno, e um cuidado essencial que ele demonstrou, foi a sua própria mãe, Maria, confiando-a ao apóstolo João, pois os irmãos de Jesus só vieram a crer nele depois da sua ressurreição. Jesus nos mostra que nós devemos ter cuidado com a nossa família, e ele demonstra isso mesmo pregado naquela cruz.

Clique e assista ao vídeo desta mensagem!

A quarta palavra da cruz foram as palavras da angústia e do desespero e do desamparo, quando Jesus Cristo disse: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste. Naquele momento Jesus foi feito pecado por nós, ele foi feito maldição por nós, ele carregou sobre seu corpo no madeiro os nossos pecados, e Deus precisou punir os nossos pecados no seu filho, e nesse momento o sol apagou o seu brilho diante dessa tragédia do pecado, e o Pai não pode amparar o seu Filho para amparar você e a mim; Jesus foi desamparado na cruz para que você e eu fôssemos amparados por toda a eternidade.

A quinta palavra da cruz, foi a palavra da agonia física de Jesus, quando ele diz “tenho sede”, sofrendo dores, sofrendo câimbras, sofrendo sede atroz, em vez dos homens atenuarem-lhe seu sofrimento dando-lhe água, deram vinagre para acicatar ainda mais a sua dor e o seu sofrimento. Ali na cruz Jesus sofreu fisicamente. Ali na cruz Jesus sofreu moralmente. Ali na cruz Jesus sofreu espiritualmente. Ali na cruz Jesus morreu morte substitutiva e vicária.

Mas a sexta palavra da cruz foi a palavra do triunfo e da vitória, quando ele diz “Está consumado”; está consumado, no grego, é uma única palavra (tetelestai), que significa está pago, aqueles que creem em mim não devem mais nada, ali Jesus Cristo estava quitando a nossa dívida, ali Jesus Cristo estava pegando o escrito de dívida que era contra nós, anulando, rasgando, e o encravando na cruz dizendo: aqueles que creem em mim não devem mais nada, seus pecados estão perdoados, suas dívidas estão quitadas, agora eu estou abrindo um novo e vivo caminho para o céu, agora eu estou pagando a dívida daqueles que não podem pagar a sua dívida com Deus, eu estou adquirindo para eles eterna redenção. Que verdade bendita é esta de que a nossa redenção foi consumada na cruz do Calvário.

Portanto, a sétima e última palavra de Jesus na cruz foi esta: Pai, nas tuas mãos eu entrego o meu espírito. Agora que a obra dele foi consumada na cruz, agora ele estava rendendo o seu espírito ao Pai, ele estava morrendo, e morrendo pelos nossos pecados segundo as Escrituras, e então ele completa a sua obra de redenção quando ele entra nas entranhas da morte, quando ele arranca o aguilhão da morte, quando ele mata a morte com a sua morte, ressuscitando dentre os mortos para ser o nosso glorioso redentor. Hoje você pode fazer a decisão mais importante da sua vida, hoje você pode arrepender-se do seu pecado e pôr a sua confiança em Jesus Cristo e receber dele a vida eterna.

Quando chegaram ao lugar chamado Calvário, ali o crucificaram, bem como os malfeitores, um à direita, outro à esquerda. Contudo, Jesus dizia:Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. Então repartindo as vestes dele, lançaram sortes. Lucas 23.33-34

Rev. Hernandes Dias Lopes

Recent Posts